quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

As zicas nossas de cada dia ...


Há períodos, de sequências de "zicas" ininterruptas, que nem a melhor das Pollyannas daria conta. Sou um tipinho que tenta sempre ver todos os lados da coisa e que tenta ser racional, apesar do "piscianismo", afinal, as coisas acontecem não por acaso, há uma sequência nisso tudo, de nossas escolhas, de escolhas dos outros que de alguma maneira afetam nosso cotidiano. Mas olha, é muito ruim quando isso vem com uma certa constância e persiste por um tempo mais que o razoável. Cansa ! Eu sei que a gente controla apenas uma parte das coisas que acontecem na vida da gente, mas pequenas frustrações, estragam a vibe do dia, senão uma programação que estava sendo definida. A gente programa e planeja sim algumas coisas na vida, é o que nos dá norte pra seguir em frente, o que seria da vida sem os planos ? Morte e doenças podem sempre estar no meio disso, inviabilizando, mas fora isso, a gente não conta com algumas coisas que parecem surgir do além ! Se resignar as vezes é bem "fueda"! E é preciso ter uma boa dose de força de vontade para segurar a onda, se livrar da rasteira e, não cair ! Ando vendo muita gente atribuindo um monte dessas coisas à esse "aninho" de 2016, e está sendo um ano bem estranho mesmo, e pelo jeito, as "zicas" estão acontecendo com muita gente, talvez, coisas da crise e da vibe que ela cria, mas não consigo acreditar muito que a culpa é só do ano, mesmo porque, passando-se de 31 para 01, muito pouca coisa muda além da data. É, a vida não está fácil não, como diz minha mãe, tem que "amarrar as calças", e mesmo assim ... 
Mas vamo ai, enquanto houver vida e uma porta de saída, há ainda alguma esperança ... mas que tá "fueda", tá !

Um comentário:

  1. Nada muda mesmo mas não custa ter esperanças em dias melhores. Um feliz 2017 para todos nós querido.

    ResponderExcluir