sexta-feira, 20 de maio de 2016

Uns velhinhos ...


Nunca fui do tipo que dá muita importância à questão do tempo, ou da idade, já que no caso, estou falando de envelhecimento. A minha frase continua sendo a mesma há décadas e pelo jeito continuará sendo: não troco o hoje pelos dezoito. E não troco mesmo, sempre tenho a sensação de que sou melhor como pessoa e como ser humano do que eu era naquela época, talvez seja coisa realmente da idade, pois há coisas, pensamentos e sentimentos que só vem junto com o amadurecimento, ou envelhecimento mesmo, mas também vem mais responsabilidade sobre si mesmo. Errar lá atrás era uma delicia, engraçado e até aventureiro, hoje continua sendo, mas com uma dose maior de cuidado, a gente é quase outra pessoa de uma certa maneira. E não falo isso só por mim, olhando à volta vejo a transformação. Meus companheiros de trabalho são pessoas bem mais jovens, e trabalhamos juntos há um bom tempo, e os percebo mudados, mais amadurecidos, com algumas preocupações que não possuiam antes: financeiras, relacionamentos e até, físicas e estéticas. rs. As mudanças realmente acontecem. A gente se olha no espelho quase todos os dias, até várias vezes por dia, e como as mudanças são relativamente lentas, a gente acaba não percebendo muito a transformação, pois está acostumado com a própria imagem. Até que um dia, sem aviso, se espanta e nota, que a pele não é mais a mesma, a barriga não é mais a mesma, o cabelos não são mais castanhos escuros, quando eles ainda continuam na cabeça, claro, ou, quando se encontra um amigo que não se vê há tempo e quando ele te olha solta logo um: "Nossa, como você tá gordo!" É ... assim como a vida só anda pra frente, o envelhecimento não pára até a morte. Não há como negar que as vezes isso causa um certo "bode", é uma constatação, estamos ficando velhos, mais a cada dia, diferentes do que éramos, vulneráveis. Cada um tem sua receita de como lidar com isso, uns aceitam, outros rejeitam. Alguns tentam disfarçar os sinais da idade, como se isso de uma certa maneira, resolvesse tudo o que vem com ela,  o que eu considero um perigo, ainda mais no caso dos homens. Estamos acostumados a ver mulheres que nunca ficam com os cabelos grisalhos, como diz minha tia, vão aloirando com o passar dos anos. Mas homens, quando a vaidade vai por essa linha, é perigoso, fácil , fácil cair no ridiculo. Por aqui, onde trabalho, tem alguns, postura de velhos,  caras enrugadas e cabelos e bigodes negros, caricaturas, mal disfarçando a idade. Mas, quem sou eu para criticá-los, afinal, acabei de dizer que cada um tem sua receita, vai ver que isso para eles, diminua o fardo do tempo em suas faces e mentes. Só não vale ficar ranzinza. Paciência parece que fica diminuida também com o passar dos anos, mas não é regra, me surpreendi com exemplos contrários disso também. O legal é sempre tentar manter os pés no chão, e, se for possível, não pirar, tentar, passar por essa viagem da melhor maneira possível, tanto fisica quanto emocionalmente, e, com bom humor,  mesmo porque, não há outra maneira. Melhor pensar que só fica velho, quem não morre, e já que não mudaremos muito mesmo esse script, vamos lá viver, pois tem muita coisa boa para fazer nesse planeta !






2 comentários:

  1. envelhecer com a tal "dignidade" é muito dificil... não vejo problema num pouco de tinta no cabelo, um botox... mas agir como vc, não querendo voltar atras, é o melhor! abraços!

    ResponderExcluir
  2. Cada etapa da vida tem sua beleza própria!
    Encontrá-la é não tentar reviver aquilo que já passou.
    Bjs

    ResponderExcluir