quinta-feira, 12 de novembro de 2015

A palavra do dia.


Empatia:

s.f. Ação de se colocar no lugar de outra pessoa, buscando agir ou pensar da forma como ela pensaria ou agiria nas mesmas circunstâncias.
Aptidão para se identificar com o outro, sentindo o que ele sente, desejando o que ele deseja, aprendendo da maneira como ele aprende, etc
Psicologia. Identificação de um sujeito com outro; quando alguém, através de suas próprias especulações ou sensações, se coloca no lugar de outra pessoa, tentando entendê-la.
Competencia emocional para depreender o significado de um objeto, geralmente de um quadro, de uma pintura, etc.
Faculdade para idealizar ou traçar a personalidade de alguém, projetando-a num dado objeto, de maneira que tal objeto pareça estar indissociável desta. 
Sociologia. Compreensão do Eu social a partir de três recursos: enxergar-se de acordo com a opinião de outra pessoa; enxergar os outros de acordo com a opinião de outra pessoa; enxergar os outros de acordo com a opinião deles próprios.
(Etm. do grego: empátheia, pelo inglês: empathy). 

Fonte: []Dicio

Mais uma via de mão dupla, que se a gente não deixar a teimosia de lado, não resolve nada. Nos dias de hoje, onde o Eu de cada um é sempre maior do que o do proximo, não fica nada fácil.


7 comentários:

  1. Hoje eu consigo ver todos estes conceitos com extremamente abstratos e, de certa forma manipuladores como toda a palavra.
    Sentir, perceber, ver como o outro! Colocar-se no lugar do outro! Seja na dimensão pessoal seja na dimensão social! Isto é algo impossível, pois nunca conseguiremos nos dissociar de nós mesmos. Em todas estas tentativas de percepções de situações alheias às nossas, continuarão tão somente sendo vistas sob os nossos prismas não sob os prismas do outro.
    Não vejo mais também com a mesma rigidez, as questões do EU. Não percebo o EU como algo necessariamente EGOÍSTA, mas para a maioria das coisas elas são e serão sempre individuais para cada SER. Faça-a da melhor maneira que puderes, como sabes fazer, como és capaz de fazer, na sua dimensão e na sua potencialidade. O outro no caso será o seu limite e a sua referência. Não poderás nunca transpor este limite e esta referência, para o bem dele [o outro] e o seu próprio bem. Para mim o OUTRO só pode ser contemplado nas relações desta forma. Eu me satisfaço nos limites, eu respeito os limites, eu valorizo os limites ... Cada um no seu EU tentando isto creio que o TODO mudará e só assim isto será possível. Não existe qualquer possibilidade ideológica, teórica, acadêmica, ética e tudo mais que mude o todo sem mudar o EU individual. A única possibilidade de mudança é a partir do EU particular em ação solitária mas em espiral. Assim o todo poderá ser alcançado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você em partes, você foi muito rigido ! rs ! Eu sou mais molinho, consigo ver a perpectiva sim através do outro, ela até pode não ser exata, mas dá para ter uma boa idéia em várias situações. Concordo com você que o Eu não precisa ser necessariamente egosita e acho mesmo que não deva, e concordo também que a mudança começa sim dentro de cada individuo, mas essa mudança pode começar, a partir do olhar sobre o outro também, ou seja, tentando enxergar através do outro, tentando sentir o que o outro sente. Eu acho que talvez, você até faça isso.

      Abração !

      Excluir
  2. Em um mundo que privilegia e empresta conceitos de beleza ao individualismo cruel, a empatia se torna cada vez mais uma qualidade rara. Preserve a sua. Muitas pessoas ainda podem ser contagiadas por ela. É um bom vírus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, um pouco cansado de individualismos, tive uma boa amostra de como isso pode ser desagradavel ontem. Claro, que em uma situação específica. Há momentos em que ele se faz necessário, e não machuca.

      Excluir
    2. Nenhum radicalismo é bom. Acho que como você também estou cansado de individualismos, mas concordo que são necessários em diversos momentos!

      Excluir
  3. é um dos mais dificeis sentimentos, mas, dos mais esclarecedores tambem.
    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dificil mesmo ! E impreciso creio na maioria das vezes, mas dá pra ter uma noção ... rs

      Beijo !

      Excluir