terça-feira, 28 de março de 2017

Pra viver ...


Não adianta, estamos sempre ligados a um monte de pessoas que estão à nossa volta, de "n" maneiras e por "n" motivos. Não conseguiríamos quase nada sem essas relações, gostando ou não delas.




quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

#viagens ...


As vezes, a gente só sente uma grande canseira, aquela que vence até otimismo de pisciano. Só resta a teimosia.


segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Esses dias ...


Há dias que são verdadeiras segundas-feiras, nada contra segundas-feiras, são necessárias. São pequenos começos, são dias em que tomamos decisões. Quem nunca deixou de fumar numa segunda-feira, começou uma dieta na segunda-feira? Quem nunca deixou algo para segunda-feira? E quem nunca ignorou a segunda-feira e não fez nada a que se propôs, dane-se! Mas não é o dia propriamente dito, é a energia dele, dependendo do estado de espírito que nos encontramos, uma sexta-feira pode ser uma segunda-feira tranquilamente, apesar da vibe desses dois dias serem totalmente diferentes! Há dias ... dias? Não, períodos, em que a gente quer que algo aconteça de diferente, que quebre a rotina, que mude algo, para o lado bom, claro, há mudanças que vem para piorar as coisas, e isso, obrigado, já tem bastante, pequenos aborrecimentos cotidianos é o que não falta . Mas há todo um mundo de acontecimentos interligados e que de uma certa maneira, interfere para que essas coisas diferentes para o bem, aconteçam ou não na vida da gente, desde nossas escolhas pessoais, até o momento político-econômico do país que moramos. Ai, não tem muito o que a gente fazer, a não ser esperar um pouco, pra ver se algo de bom acontece. As vezes não acontece, e a gente fica aqui escrevendo, numa segunda-feira.


segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

A vibe.


Tanta gente reclamando de tanta coisa, contra tanta coisa, não sem razão, tem um monte de coisa errada acontecendo e que merecem ser discutidas e combatidas, mas a coisa anda tão unilateral ! Tem coisa boa acontecendo também o tempo todo, mas pouco se fala sobre elas, parece que isso é segundo plano, com uma importância menor, o mais importante é mostrar só o que está errado no mundo, reafirmar o tempo todo que tudo está errado, o que, de uma certa maneira, não é verdade. E fazem isso com uma raiva, com uma gana, que acho que cria uma vibe estranha, que contamina muito, que faz muito mal num geral e que não agrega o devido valor à discussão, que não desperta o real sentimento de conscientização, só gera mais ódio, mais segregação.  Parece que o que rola de bom, para ter validade, tem que ter partido político certo, ou ser feito pela pessoa publica certa, senão não tem a menor importância, sempre se evidencia só o ponto ruim. Um monte de gente, que se propõe, ainda, a defender um lado só e gasta os dias desqualificando o outro, num momento em que era para estarmos todos juntos. Mas uma coisa tenho notado nisso tudo, essas pessoas estão falando cada vez mais, sozinhas.




terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Tranformações


O tempo tem o dom de mudar as coisas, ele, me parece, sempre vai atenuando as coisas, os sentimentos, os pesos da vida. Assim como é boa a leveza que ele dá à um fato ou situação difícil, tornando-a mais suportável, à medida que ele passa, é muito ruim essa mesma mudança numa situação de felicidade e bem estar que vai se tornando cotidiana e sem muita graça. É como se com esse movimento contínuo, ele nos quisesse mostrar que a coisa nunca pára no sentido de que mudanças são extremamente importantes. Não necessariamente mudar tudo, mas talvez, só o olhar diferente ou não deixar de notar as peculiaridades que ele atenua com o seu passar, já valem pra tornar um dia diferente, que é o que a gente sempre quer e precisa. A mudança, assim como ele, acontece todos os dias e em todos os momentos, falta-nos tempo talvez, para enxerga-la ? E mudança vale para tudo e para todos, mas, como em todos os momentos, é preciso saber detectá-la, e há movimento positivo e negativo na mudança também, nem sempre a mudança é positiva, oras ! E Some-se a isso todo, o olhar e o comportamento individual de todos os envolvidos na nossa rede, a respeito dessas atenuações ! Vivemos cercados de coisas, situações e pessoas e cada uma muda ao seu jeito e a seu tempo, alterando totalmente o grau de importância em detrimento a outras coisas, situações e pessoas. Algumas ficarão, outras irão. Quando ? Só o ...





quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

As zicas nossas de cada dia ...


Há períodos, de sequências de "zicas" ininterruptas, que nem a melhor das Pollyannas daria conta. Sou um tipinho que tenta sempre ver todos os lados da coisa e que tenta ser racional, apesar do "piscianismo", afinal, as coisas acontecem não por acaso, há uma sequência nisso tudo, de nossas escolhas, de escolhas dos outros que de alguma maneira afetam nosso cotidiano. Mas olha, é muito ruim quando isso vem com uma certa constância e persiste por um tempo mais que o razoável. Cansa ! Eu sei que a gente controla apenas uma parte das coisas que acontecem na vida da gente, mas pequenas frustrações, estragam a vibe do dia, senão uma programação que estava sendo definida. A gente programa e planeja sim algumas coisas na vida, é o que nos dá norte pra seguir em frente, o que seria da vida sem os planos ? Morte e doenças podem sempre estar no meio disso, inviabilizando, mas fora isso, a gente não conta com algumas coisas que parecem surgir do além ! Se resignar as vezes é bem "fueda"! E é preciso ter uma boa dose de força de vontade para segurar a onda, se livrar da rasteira e, não cair ! Ando vendo muita gente atribuindo um monte dessas coisas à esse "aninho" de 2016, e está sendo um ano bem estranho mesmo, e pelo jeito, as "zicas" estão acontecendo com muita gente, talvez, coisas da crise e da vibe que ela cria, mas não consigo acreditar muito que a culpa é só do ano, mesmo porque, passando-se de 31 para 01, muito pouca coisa muda além da data. É, a vida não está fácil não, como diz minha mãe, tem que "amarrar as calças", e mesmo assim ... 
Mas vamo ai, enquanto houver vida e uma porta de saída, há ainda alguma esperança ... mas que tá "fueda", tá !

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Constatações.



É muito maluco como as pessoas negam nos outros, os próprios comportamentos. É como se enxergassem no outro algo ruim, a ponto de ser repelido, ao mesmo tempo que praticam a mesma coisa e  não conseguem ver isso em si mesmos, e que igualmente é ruim e surtem o mesmo efeito.